Nosso Judiciário auxilia na conscientização de 330 alunos em escola no Santa Isabel

“Tentamos conscientizar os alunos que cada ação tem uma reação, que todo efeito tem uma causa. A Justiça vindo até a nossa escola e dizendo a respeito disso reafirma a nossa fala, principalmente quanto às regras, direitos e deveres”. Esse é o entendimento de Jeci Santos Pereira, diretora da escola municipal Professor Ranulpho Paes de Barros, no bairro Santa Isabel, em Cuiabá, que recebeu a palestra do projeto Nosso Judiciário, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, na manhã desta terça-feira (11 de junho).   Cerca de 330 alunos, do sexto ao nono ano, puderam conhecer um pouco mais sobre o funcionamento do Judiciário com auxílio da cartilha “Amigo do Judiciário”, que serve como base para as palestras.   A diretora afirma a importância da união entre as instituições, já que cada uma tem sua responsabilidade, mas que podem desenvolver trabalhos em conjunto. “Alguns alunos não têm conhecimento de suas obrigações, mas os direitos todos sabem. Falamos para eles que o primeiro lugar que vão encontrar regras é na escola, porque tem horário para entrar e sair, tem obrigações e, se infringir as regras, terão consequências. Por isso é importante o trabalho em conjunto, eles saberem o que é o Judiciário, o que faz um juiz. Se tivermos esses parceiros, cada um fazendo sua parte, a gente pode contribuir para um ambiente escolar melhor”, afirma.   Quem fala com os alunos e é um dos coordenadores do projeto é o servidor do Tribunal de Justiça Neif Feguri. A visita de hoje foi uma solicitação da Secretaria Municipal de Educação, devido ao papel social que o projeto tem exercido por onde passa.   “Transmitimos aos jovens a importância da justiça e de se ter conduta correta na vida. Temos combatido violência e ameaça dentro das escolas com essas palestras, bem como o uso de drogas, bullying e os crimes virtuais. Acreditamos que os alunos são o futuro do nosso país, dizemos a eles para valorizarem a escola, respeitar os professores. É por isso que o Poder Judiciário vai até as escolas, para estar mais próximo da população, porque acredita em cada um que recebe as informações”, discorre.   Aos 14 anos, Josivani da Silva Moura, do nono ano, diz ter achado a palestra muito interessante. “Descobri coisas que eu não sabia sobre a justiça e eu vi que também podemos resolver as coisas no diálogo, não apenas na justiça”, disse.   O aluno do sexto ano Abraão Paulo de Souza Costa pretende ser juiz ou médico. Ele também gostou das informações recebidas e disse que aprendeu que “não é preciso resolver as coisas de forma violenta, que as pessoas não podem fazer o que quiser sem pensar nas consequências e, principalmente, que o direito das pessoas devem ser respeitados.”   A Cartilha “Amigo do Judiciário” será utilizada pelos professores para realização de trabalho em sala de aula.   Este ano, o Nosso Judiciário já passou por 12 escolas. Desde o início do projeto, 84 unidades, públicas e particulares, de ensino médio e fundamental, receberam o projeto. Com a visita de hoje, o projeto Nosso Judiciário já levou conhecimento a mais de 20.500 jovens.   Honraria – Pela importância de suas ações voltadas à comunidade estudantil, o presidente do TJMT, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha, recebeu, da Câmara Municipal da Capital, Moção de Aplausos pelo desenvolvimento do projeto Nosso Judiciário.   Veja o que já foi publicado sobre o assunto:   Cartilha do Nosso Judiciário servirá de material para trabalhos com alunos   Presidente recebe moção pelo projeto Nosso Judiciário   Estudantes de escola estadual de Várzea Grande recebem Nosso Judiciário        
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  42636